domingo, 29 de junho de 2008

Spinning com amostras de superfície

No spinning actual, a pesca com amostras de superfície, destaca-se largamente pela sua espectacularidade e pelo seu maior grau de exigência técnica.
Só uma escolha correcta da amostras, o seu correcto manejo e alguma experiência, poderão conduzir a bons resultados.
A conjugação destes factores, possibilita ao praticante assistir a momentos ímpares, que nos cativam e ficam na memória para o resto dos nossos dias.
O robalo e a baila são perfeitamente pescados à superfície. Apesar de existir sempre uma percentagem de ataques falhados, qualquer captura nesta vertente é bem mais aliciante.
O mesmo se aplica aos nossos maiores predadores costeiros: as anchovas.


No que aos últimos diz respeito, a beleza da sua pesca e a forma como estes peixes atacam as amostras, não tem paralelo com os outros predadores. A um ataque brutal à superfície, que geralmente consiste num salto imponente em que o animal sai completamente da água, segue-se um combate frenético. O peixe está preso e tenta libertar-se através de potentes fugas para o fundo e de novos saltos, para se tentar libertar dos anzóis que o sujeitam. Neste processo, o nosso adversário explora ao máximo as nossas fraquezas e os pontos fracos do nosso material. Todos os pontos débeis serão aproveitados e os erros pagar-se-ão caros.

Fantásticas fotos, cedidas pelo grande guia de pesca e pescador de anchovas, Tuba.


S. Ferreira

6 comentários:

MR disse...

Grandes saltos que essas meninas dão, espectaculo de fotos

Sargus disse...

Viva Sérgio,
Sem duvida que o spinning de superfície é bastante mais energético pelo aspecto visual que o peixe nos proporciona quando se dá o ataque. Não é que não o seja de forma global, mas o facto de vermos o comportamento do Predador/Predado dá-nos uma sensação que só mesmo quem tem estas experiências pode comprovar.

Parabéns e parabéns ao Tuba pelo registo "in action".

Abraço.

S. Ferreira disse...

Sim, Miguel, achei o mesmo quando as vi.
Este ano já vi alguns ataques destes, mas infelizmente o pessoal quando encontra um banco de anchovas prefere pescar a filmar:)
O Tuba é um especialista da pesca destes peixes, com o qual estamos sempre a aprender. Para além disso é um excelente fotógrafo;)

S. Ferreira disse...

Fernando, a pesca à superfície é a minha favorita. Falha-se peixe, mas...o espectáculo visual é grandioso;)

MR disse...

Sem duvida que a superficie é a versão mais emocionante, viciante e espetacular, do spinning para alem do mais estamos sempre a observar tudo, podemos corrigir os defeitos.

S. Ferreira disse...

Olha que não é bem assim, Miguel.
Por vezes os peixes falham as amostras e já não voltas a ter oportunidade para correcções.
Noutros casos, consegues acabar por enganá-los.
É uma pesca mais bonita, mas para mim bem mais técnica e exigente do que a pesca com jerkbaits.