terça-feira, 10 de março de 2009

O achigã, essa espécie a abater

Dedicado ao ICNB e às mentes "iluminadas" que fazem parte deste organismo:


video

5 comentários:

Pedro batalha disse...

Boas Sérgio Ferreira
Enfim...palavras para quê?....
De vez em quando alguns iluminados lembram-se de novas ideias ou retocar ideias antigas.
Há já muito tempo que ouço tais insinuações, acabam sempre por atacar o elo mais fraco...neste caso a própria evolução da natureza com ou sem a mão do homem.
Caramba...não vejo o ICN ou a DGF falarem em poluição, será que esses senhores detentores de "canudos ambientais" acreditam que a poluição não existe?
Será que de nada lhes serve tentar acabar com algumas especies, e rios como o Alviela continuarem conspurcados e sem vida?

Bem se me falassem de silurus, Tucunarés, e outros, eu até concordaria...

Abraço

S. Ferreira disse...

Efectivamente, os problemas de fundo nunca são abordados, Pedro.
E podemos generalizar às nossas praias...

Um abraço.

José Gomes Torres disse...

As mentes iluminadas esquecem-se que o maior exotismo dum curso de água é a construção duma barragem, que altera um meio de água corrente para um de águas paradas. Depois disto, vale a pena falar em peixes exóticos? Uma vez que se alterou o meio, e as espécies autoctones não se adaptaram, porque não tirar partido da mais valia de um recurso valioso?
De facto, as bogas desapareceram... por causa dos achigãs...
Abraço,
GT

S. Ferreira disse...

Nos locais onde pesco, as bogas mantêm populações estáveis, ao contrário do que pintam GT. O vídeo é a prova disso.
Como predadores, os achigãs cumprem o seu papel eliminando os exemplares doentes e mais fracos, favorecendo deste modo a selecção natural.
Só na cabeça de um perfeito imbecil é que se pode chegar à brilhante conclusão que um sistema de águas paradas não é o responsável pelo desaparecimento das espécies autóctones.
O problema é mais profundo. No ICNB muita gente tenta justificar os seus cargos através da criação de bodes expiatórios.
Se partirem para a guerra às espécies "exóticas", irão sem dúvida fomentar o empobrecimento de algumas das espécies mais emblemáticas de Portugal (o achigã incluído). De qualquer modo é uma guerra perdida à partida porque nunca conseguirão erradicar os achigãs do nosso país.
Este lindo peixe, no que depender de nós, continuará a existir.
Um abraço.

suza disse...

Esta "gentalha" anda doente da cabeça...os predadores são eles, eles é que deviam ser erradicados, não como expécies exóticas, mas sim, como uma praga que chupa até ao tutano a paciência dos outros, que se esgota...conheço mais de 100 albufeiras privadas que têm achigãs lindos...eles que lá entrem a ver como é que é...cumprimentos a todos os amantes dos achigãs..vamos a eles.